‘Nise’ vence como melhor filme no Festival de Cinema Brasileiro na Rússia

Público russo elegeu o longa de Roberto Berliner, estrelado por Glória Pires, como o melhor da mostra; filme conta a história da médica psiquiatra Nise da Silveira

Nise, O Coração da Loucura, dirigido por Roberto Berliner, foi selecionado pela audiência como o melhor filme no Festival de Cinema Brasileiro na Rússia. O festival aconteceu em Moscou de 4 a 9 de outubro e em São Petersburgo de 11 a 16.

É a nona vez que Moscou recebe a mostra e a quinta vez de São Petersburgo. Ao todo, foram dez longas, dois documentários e uma animação exibidos na edição deste ano. A 9ª edição do Festival de Cinema Brasileiro em Moscou bateu recorde de público na estreia: só a exibição de Nise, em um dos principais cinemas da capital russa, contou com mais de 800 espectadores presentes.

Nise - O Coração da Loucura

O filme “Nise – O Coração da Loucura” é um mergulho emocionante sobre um período em que a doutora alagoana, Nise da Silveira, assume suas funções no hospital público psiquiátrico, no subúrbio carioca de Engenho de Dentro, logo depois de sair da prisão, no início dos anos 1940.

“É muito bom ver como o nosso filme tem tocado as pessoas mundo afora e Brasil adentro. Esse projeto foi transformador para todos que participaram. Nise é uma pessoa fundamental, merece toda a atenção do mundo e eu fico muito orgulhoso de ter jogado um foco de luz a mais na história dela”, celebrou Berliner.

Nise, O Coração da Loucura se passa na década de 1940, em um hospital psiquiátrico do Rio de Janeiro, quando a médica psiquiatra Nise da Silveira questiona a violência no tratamento de pacientes diagnosticados com esquizofrenia. A médica revoluciona a área eliminando métodos agressivos como o eletrochoque e a lobotomia. Veja o trailer:

O ator Augusto Madeira, que esteve em Moscou durante o festival para representar o filme, comemorou a escolha do público. “O povo russo sabe valorizar uma revolucionária, tal qual foi a Dra. Nise”, disse.

Além do prêmio da Rússia, o filme acumula outras fontes de reconhecimento internacionais. A obra venceu as categorias “Melhor filme” e “Melhor atriz” no 28º Festival de Tóquio, levou o troféu de Melhor longa de ficção pelo Júri Popular no Festival de Cinema Latino de Epernay, na França, todas este ano, e ganhou como Melhor filme e prêmio da audiência no Festival Internacional de Cinema do Rio de Janeiro em 2015.

Foram exibidos este ano no festival, além de Nise, os filmes Mais forte que o mundo, de Afonso Poyart; Em nome da lei, de Sérgio Rezende; Big Jato, de Cláudio de Assis; Mãe só há uma, de Anna Muylaert; De onde eu te vejo, de Luiz Villaça; Para minha amada morta, de Aly Muritiba; Real beleza, de Jorge Furtado; Muitos homens em um só, de Mini Kerti; e Ponte Aérea, de Juliana Rezende. Passaram por lá também a animação O menino e mundo, de Alê Abreu, e os documentários Damas do Samba, de Susanna Lira, e A herança russa, de Pablo Francischelli.